Traduzido e adaptado do texto original de Matt Lindner

Após três meses de pandemia de COVID-19, o mundo começa a se habituar ao chamado “novo normal”. No Brasil, alguns centros iniciaram suas primeiras fases de reabertura dos serviços considerados não essenciais, ainda que com restrições, já que o avanço de novos casos da doença continua em ritmo acelerado.

A esta altura, os negócios que ainda não puderam reabrir completamente as portas já criaram estratégias para manter o funcionamento das atividades durante o isolamento. É o caso, por exemplo, de grandes marcas varejistas do país, que com a expertise e tecnologia oferecidas pela Rakuten Advertising desenvolveram seus programas próprios de afiliados

Em outros lugares do globo, onde a curva de contágio começa a apontar queda, muitos prédios de escritórios, bares e restaurantes preparam-se para das as boas-vindas ao público e aos trabalhadores, como nos Estados Unidos e na Austrália.

Como forma de ajudar anunciantes e afiliados, a Rakuten Advertising mantém uma landing page com insights sobre o comportamento de consumo em diferentes países, para auxiliar a estratégia de vendas nesta quarentena.

A seguir, alguns dos dados mais recentes, revelados pelo nosso monitoramento na web, que podem servir de inspiração para o varejo brasileiro:

• Os serviços de pagamento recorrente ou de assinatura – em que itens de uso contínuo são enviados com determinado intervalo de tempo e o valor é cobrado automaticamente do consumidor –  tiveram um aumento de 50% do AOV (Average Order Value – em tradução livre “custo médio do pedido”), enquanto as vendas tiveram um crescimento anual de 150%, desde o início do lockdown – termo em inglês utilizado para definir o bloqueio total de uma região

• Na Austrália, os serviços de pagamento recorrente apresentaram aumento de 20 dólares australianos (R$ 74,20 – cotação junho de 2020) em seu AOV, desde o início do lockdown

• As vendas de serviços de pagamento recorrente cresceram 180%, ano a ano, no Reino Unido, desde o início do lockdown

O apelo dos serviços de pagamento recorrente em todo o mundo provavelmente está sendo motivado por três fatores:

• Segurança: este serviço proporciona aos consumidores a tranquilidade de ter os produtos que precisam entregues diretamente na porta, evitando assim a exposição

• Conveniência: em vez de precisar ir até a loja, o pagamento recorrente permite que os consumidores tenham reabastecimento regular dos produtos que estão utilizando frequentemente

• Tranquilidade:  os consumidores podem se inscrever nestes serviços porque sabem antecipadamente se os produtos que desejam ou precisam estarão disponíveis

Embora o interesse no pagamento recorrente tenha crescido entre os compradores, a maioria dos varejistas e marcas não conta com esta oferta de serviço. Desta forma, as lojas do varejo podem investir nesta ação para fidelizar novos clientes durante a pandemia. 

Dicas para os varejistas

Desenvolva uma estratégia online para apoiar a volta dos consumidores: Google Ads, links de sites e textos explicativos no Google ou Bing podem fornecer informações importantes para os consumidores como quais são os locais em que as lojas físicas estão abertas – especialmente no Brasil, em que cada estado segue uma orientação diferente em relação à flexibilização da reabertura do comércio. As campanhas locais e o uso do Google LIA (Local Inventory Ads) – sigla em inglês para ferramenta do Google que faz a conexão entre os anúncios e o estoque das lojas físicas dos varejistas parceiros – combinados podem ajudar a elevar o tráfego de pesquisa

Cupons e vouchers: os varejistas também podem contratar afiliados para ajudar a conectar a experiência digital promocional com compras na loja com o uso de cupons e vouchers ou ofertas de reembolso por cartão

Promova a retirada na calçada ou na loja: embora alguns consumidores estejam sentindo-se mais confortáveis ​​em sair de casa, nem todos têm pressa em voltar para uma loja física. Uma pesquisa realizada entre os dias 9 e 11 de junho pela empresa de pesquisas de mercado Morning Consult mostrou que apenas 35% estão à vontade para ir a um shopping, sugerindo que a maioria dos compradores ainda não se sente totalmente à vontade em retomar hábitos de compras pré-pandêmicos. A retirada na calçada ou na loja fornece um meio eficaz, que garante ao consumidor que o atendimento do seu pedido seja realizado com contato limitado

Garanta a precisão do Google LIA: a visita de um cliente a uma loja física é agora ainda mais representativa do que antes da pandemia. Os varejistas podem se destacar ao disponibilizar uma lista de produtos que estão prontamente disponíveis em lojas próximas, proporcionando aos consumidores a tranquilidade de saberem que não perderão viagem

Comunique claramente as medidas de segurança: agora é a hora de aproveitar todos os seus canais digitais para comunicar com efetividade o que você está fazendo e manter os consumidores seguros quando visitarem uma de suas lojas. Atualize as mídias sociais da loja local com as informações necessárias sobre o que está sendo feito, seja a higienização do espaço após cada checkout, exigência do uso de máscaras para entrada nas lojas, ou a promoção de pagamento por celular ou outras práticas, para minimizar a quantidade de pontos de contato físicos

A Rakuten Advertising continuará a mantê-lo atualizado com estratégias e informações de nossa rede. Para uma visão mais estratégica, específica da sua empresa, entre em contato com algum de nossos representantes. Para mais informações e dados relacionados ao COVID-19, clique aqui.