No ano passado, o varejo enfrentou inúmeras incertezas. Enquanto os serviços não essenciais foram forçados a fechar as portas, o setor de comércio eletrônico foi acelerado em um ritmo rápido. Apesar do boom inesperado das compras online, algumas empresas enfrentaram alguns desafios que as impediram de conquistar um maior crescimento em vendas, como atrasos nas remessas e preocupações com a saúde dos trabalhadores, por exemplo. Dessa forma, mesmo após a flexibilização do comércio físico em algumas localidades do globo, os efeitos da pandemia continuarão a ter um forte impacto nas vendas e nas tendências de compra do consumidor.

Espere um aumento de ticket médio ao longo de 2021

O ticket médio continuará a conduzir as principais decisões de investimento em publicidade em 2021. No ano passado, os clientes fizeram mais compras, mas com tamanhos de cesta menores, o que diminuiu o ticket médio na maioria dos setores verticais. Com a economia em alta e as compras nas lojas voltando, esperamos que o ticket médio aumente ao longo do ano.

Hábitos formados durante a pandemia se tornarão a norma

A pandemia viu mais pessoas se voltando para o e-commerce do que nunca, incluindo aquelas que nunca haviam feito compras online. Assim, seja comprando mantimentos online ou utilizando as opções de clicar e coletar, os hábitos formados durante a pandemia continuarão. No Brasil, 13 milhões de consumidores realizaram sua primeira compra online no ano passado devido às medidas de restrição para circulação no varejo físico.

As tendências de cliques devem se estabilizar

Para aliviar os trabalhadores em atendimento, gigantes do e-commerce como a Amazon transferiram feriados de compras importantes, para o final do ano. Essas mudanças ocasionais causaram algumas mudanças nas tendências de cliques em verticais que provavelmente retornarão aos níveis pré-pandêmicos, conforme as necessidades de compras começam a se normalizar.

2021: temporada de férias projetada para ser a maior de todos os tempos

A pandemia não desacelerou as vendas no varejo nas festas de fim de ano. Nesse ínterim, as vendas brutas da temporada de férias do ano passado alcançaram US$ 185,88 bilhões (cerca de R$ 985,6 bilhões) e estão projetadas para crescer para US$ 206,88 bilhões este ano (mais de 1 trilhão de reais), conforme as pessoas voltarem ao trabalho e as lojas abrirem para compras presenciais no Natal.

Para obter mais informações sobre como a pandemia afetará o varejo global em 2021, baixe nosso mais recente infográfico ‘Pandemic Year in Review’ clicando aqui